EUA realizaram primeiro transplante de órgãos entre pacientes com HIV

04/06/2016

 

Primeiro de tais transplantes após a aprovação da Lei HOPE traz nova esperança para as pessoas HIV-positivas em listas de espera de órgãos.

 

Os médicos do Johns Hopkins Hospital já anunciaram a conclusão bem sucedida dos primeiros transplantes de HIV-positivos desde 1988 transplantes de órgãos Alterações ato proibido pessoas HIV-positivas de se tornarem doadores.

 

Na época, a preocupação foi a prevenção da transmissão do HIV através de transplantes de órgãos. A lei ordenou que os órgãos de HIV-positivos indivíduos para ser destruído e tornou aa ofensa federal para usar tais órgãos em qualquer procedimento cirúrgico. Os legisladores não estavam pensando sobre as pessoas HIV-positivas que também precisam de transplantes de órgãos; e que a supervisão não foi corrigida até 2013 com a esperança (Política de órgãos HIV Patrimônio) Act.

 

Dois transplantes bem-sucedidos foram realizados no hospital. Uma pessoa recebeu um fígado de uma mulher seropositiva falecido, o outro recebeu o rim. Transplantes de fígado e rim foram concluídas com êxito no passado, no entanto, este foi o primeiro caso de um transplante a partir do corpo de um indivíduo HIV-positivo no corpo de outra pessoa dos Estados Unidos desde 1988. Transplantes bem-sucedidos de rins entre indivíduos positivos foram realizadas antes na África do Sul.

 

"Este é um dia incrivelmente excitante para nosso hospital e nossa equipe, mas o mais importante para os pacientes que vivem com o HIV e doenças de órgãos em estágio final. Para estes indivíduos, isso pode significar uma nova chance na vida", Dr. Dorry L. Segev, Professor de Cirurgia e diretor do Grupo de Pesquisa em Epidemiologia John Hopkins 'em Transplante de Órgãos, anunciou durante uma coletiva de imprensa sobre o sucesso dos procedimentos.

 

 

Agora Johns Hopkins tornou-se o primeiro hospital do país a usar com sucesso os órgãos de indivíduos HIV-positivos para transplantes de órgãos.

 

Esta é uma vitória poderosa para as pessoas HIV-positivas na lista de transplante de órgãos.  Dr. Segev estima que a cada ano, cerca de 500 a 600 HIV-positivos que pretende ser doadores de órgãos passarão. Esses órgãos poderiam ter ajudado a salvar a vida de até 1.000 pessoas nas listas de espera tinha a comunidade médica foram autorizados a acessá-los. Agora, com esperança nos livros de história, há uma oportunidade para muitos mais indivíduos HIV-positivos para obter uma segunda chance.

Please reload

Featured Posts

A Cidade de São Paulo elimina transmissão do HIV de mãe para filho, diz ministério

November 16, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive