Em Davos, ONU cobra engajamento do setor privado para combater LGBTI fobia

02/01/2018

Autor -

Com grandes empresas se unindo aos esforços da ONU pelo respeito dos trabalhadores LGBTI, o chefe de direitos humanos das Nações Unidas, Zeid Ra’ad Al Hussein defendeu na sexta-feira (26) o papel de liderança que o setor privado tem na promoção de oportunidades iguais para gays, lésbicas, bissexuais, pessoas trans e intersexo. Em Davos para o Fórum Econômico Mundial, dirigente divulgou diretrizes da ONU para combater discriminação no mercado.

 

Com grandes empresas se unindo aos esforços da ONU pelo respeito dos trabalhadores LGBTI, o chefe de direitos humanos das Nações Unidas, Zeid Ra’ad Al Hussein, defendeu na sexta-feira (26) o papel de liderança que o setor privado tem na promoção de oportunidades iguais para gays, lésbicas, bissexuais, pessoas trans e intersexo. Em Davos para o Fórum Econômico Mundial, dirigente divulgou diretrizes da ONU para combater discriminação no mercado.

 

“Empresas que atuam para acabar com a discriminação e apoiar comunidades LGBTI podem ser o motor da mudança”, afirmou Zeid, que apresentou os chamados Padrões de Conduta para Empresas, documento sobre o enfrentamento da LGBTIfobia no mundo dos negócios. Publicação traz recomendações para diferentes contextos — locais de trabalho, mercados de fornecedores e nas próprias comunidades onde vivem funcionários, clientes e parceiros.

 

Enfatizando que as diretrizes são o conjunto “mais abrangente de parâmetros para um comportamento institucional responsável”, Zeid acrescentou que o documento serve de guia para empresas de qualquer nacionalidade, localização, setor e tamanho.

 

Além das companhias que apoiaram inicialmente a publicação, dezenove corporações adotaram recentemente os padrões de conduta — Airbnb, Airbus, AXA, Barilla, Bloomberg L.P., Cisco Systems Inc., Gol, Hermes Investment Management, Lloyd’s, Lush Fresh Handmade Cosmetics – North America, Marriott International, MAS Holdings, Nasdaq, New York Life, Santander Group, Tesco, Trillium Asset Management, Unilever, Vert Asset Management e Xerox.

 

Acesse os Padrões de Conduta clicando aqui.

 

 

Please reload

Featured Posts

Sem financiamento sustentável, resposta à AIDS pode falhar

October 8, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive