Alternativa emergencial para evitar o contágio do HIV faz parte das ações de prevenção para o Carnaval

 

O preservativo é a mais importante arma de combate ao HIV, mas neste ano a campanha de Aids do Ministério da Saúde para o Carnaval de 2016 traz novidades para evitar a infecção. A Profilaxia Pós-Exposição, ou simplesmente PEP, evita a sobrevivência e a multiplicação do vírus HIV no organismo. A partir da Quarta-Feira de Cinzas, serão distribuídos folhetos nos postos de saúde e outdoors sobre o tratamento.

 

Para facilitar o acesso à terapia, que é gratuitamente distribuída em 515 unidades de saúde do SUS em todo o país, o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais lançou duas ferramentas:

 

- O site que trás informações customizadas para tirar as dúvidas dos usuários do SUS, profissionais de saúde e gestores estaduais e municipais, além de incluir a lista das unidades onde o tratamento está disponível.

 

- O aplicativo PEP, disponível para download na Google Play para celulares Android que deixa à mão todas as informações sobre o tratamento e a lista de locais para acessá-lo. Assim, mesmo que o usuário esteja fora de sua cidade, ele pode ter fácil acesso.

 

Saiba Mais:

 

Saiba quais as unidades de saúde que têm a PEP

 

Aplicativo PEP, disponível para download na Google Play

 

 

 

Entenda mais sobre a PEP

 

Para funcionar, a PEP deve ser iniciada logo após a exposição de risco, em até 72h, o ideal sendo nas primeiras 2 horas. A pessoa deve procurar imediatamente um serviço de saúde que realize atendimento de PEP assim que julgar ter estado em uma situação de contato com o HIV.

 

É importante observar que a PEP não serve como substituta à camisinha. Muito pelo contrário: o uso de preservativos masculinos e femininos são ainda a principal e mais eficiente maneira de se evitar o HIV.

 

Como funciona?

 

Geralmente, a PEP consiste na ingestão de uma pílula em uma dose diária única, mas, a depender da avaliação do (a) profissional de saúde que o (a) atender, pode ser necessário uma outra combinação de medicamentos. É importante que o tratamento não seja interrompido durante os 28 dias e tomado conforme prescrito pelo médico.

 

Se não for tomado assiduamente, o tratamento pode falhar e, dessa forma, não impedirá que o vírus sobreviva e se reproduza no organismo, o que fará com que o paciente contraia o HIV.

 

Como todo medicamento, os antirretrovirais utilizados na PEP também podem causar efeitos indesejados. Os mais comuns são: dor de cabeça, enjoos e diarreia.

 

 

Please reload

Featured Posts

A Cidade de São Paulo elimina transmissão do HIV de mãe para filho, diz ministério

November 16, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive